quinta-feira, setembro 12, 2013

Os sabores do palácio, de Christian Vincent **1/2


Assim como há os “filmes paisagem”, aqueles em que os diretores adoram fazer enquadramentos mostrando as belas localidades onde a trama se desenvolve (e que poderiam até funcionar como excelente peça promocional de imobiliárias), há também aquelas produções que podem se enquadrar no gênero “filmes gourmet”. Seriam aquelas que por vários momentos enfatizam pratos apetitosos sendo elaborados e servidos (poderiam também ser utilizados como material de marketing, nesse caso por restaurantes). É claro que há exceções em que obras se utilizando desse expediente podem revelar expressivas inquietações artísticas, como “A festa de Babette” (1987) ou “Ratatouille” (2007), mas no geral os tais “filmes gourmet” mais revelam a propensão para a assepsia formal do que para alguma improvável ousadia. E é nesse caso que “Os sabores do palácio” (2012) se enquadra. É claro que os tais pratos parecem deliciosos, há alguns momentos engraçados e o elenco tem certo carisma. O filme, contudo, foge pouco dessa previsibilidade e bom-mocismo. Mesmo o comentário político do seu subtexto é superficial e pouco desafiador. Ou seja, tudo fácil de ver e de esquecer, ainda que possa dar vontade de ir a algum restaurante...

Um comentário:

Marcelo C,M disse...

Uma boa pedida.