quarta-feira, agosto 29, 2012

Sombras da noite, de Tim Burton ***1/2


Se em sua versão de “Alice nos País das Maravilhas” (2010) Tim Burton parecia ter enveredado por um cinema genérico e sem personalidade em termos estéticos, em “Sombras da noite” (2012) ele volta a exercer um estilo mais particular de filmar, ainda que trabalhando em uma refilmagem de um antigo seriado televisivo e com um roteiro um tanto desconjuntado e superficial. A premissa da trama, um vampiro do século XVI que ressurge nos anos 70 do século passado, acaba sendo bastante propícia para que Burton exercite seus característicos elementos formais e temáticos: personagens esquisitos e algo neuróticos, atmosferas entre o sombrio e o irônico, estrutura narrativa que remete a um tom fabular. Além disso, Burton propõe uma viagem estética intrigante ao casar elementos da mitologia setentista (música, figurino, comportamento) com uma ambientação gótica, formatando uma narrativa que trafega de forma perturbadora entre a comicidade, o erótico (ainda que reprimido) e a violência gráfica.

Um comentário:

Marcelo C,M disse...

A parte em que o protagonista acorda nos anos 70 e da de cara com o simbolo de Mcdonald, tive que rir e concordar com a comparação que ele fez.

Odeio os hamburgues de lá.